Resenha filme Cidades de Papel

Oxique

Oxique

O filme Cidades de Papel chegou aos cinemas brasileiros no dia 9 de julho, e eu estava sem entender o motivo de tanto alvoroço pela adaptação de um livro que para mim é somente mais um sem muito diferencial do estilo teen. Após a empolgação com A culpa é das estrelas, li esse e Quem é você, Alasca?, e acabei não gostando muito de nenhum dos dois. John Green e Nat Wolff vieram pro lançamento no Brasil, e esse foi o tema mais comentado pelos blogs literários no início desse mês, enquanto eu estava pensando que só assistiria caso um dia surgisse uma oportunidade inusitada e eu não tivesse nada melhor pra fazer.

A oportunidade acabou surgindo muito antes do que eu imaginava, e assisti ao filme diretamente da tela do cinema. Sem grandes expectativas, li em outras resenhas que a produção tinha modificado um pouco a história original, e pensei que talvez isso a tivesse tornado mais interessante. Não me enganei; o filme Cidades de Papel…(para ler o post completo, CLIQUE AQUI).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s